Iniciação Ofensiva no Futsal para Crianças

Este texto tem por finalidade introduzir alguns conceitos relevantes à iniciação esportiva voltada para aspectos ofensivos do jogo de Futsal. Alguns princípios devem ser priorizados ao iniciar um trabalho de aprendizado ofensivo e alguns desses princípios são comuns aos jogos desportivos coletivos, e por isso, serão tratados de forma geral, para posteriormente limitarmos ao Futsal.

Quando falamos em um trabalho pedagógico de ensino ao Futsal, estamos referindo a uma série de itens que os alunos devem conhecer e praticar. No ataque, em específico, partimos de uma ponto inicial, que se caracteriza pela posse da bola.

Os princípios que regem a equipe atacante, segundo BAYER, são os seguintes:
  • Preservação da posse da bola,
  • Progressão a meta adversária,
  • Realização do gol.
  • No caso dos jogadores que não possuem a posse da bola, além dos princípios anteriores, também é devido saber;
  • qual a posição da bola no jogo,
  • localizar os espaços livres para possível ocupação,
  • identificar a posição dos adversários e a situação dos companheiros e ainda ter o objetivo a atacar.

Com crianças é fácil notar a centralização na figura da bola, e muitos ainda não desconectam o jogo em si da figura bola. Eles têm a bola como centro e não como elemento do jogo. A vivência inicial é observada com algumas características, como o jogador em posse da bola querer conservá-la, os jogadores sem bola, porém atacantes, querem ter a posse da bola.
Esta fase pode ser denominada como jogo egocêntrico. Nesta fase observa-se a aglomeração e aglutinamentos ao redor do objeto do jogo (a Bola).

- O primeiro passo seria fazer com que os alunos entendam que a bola é um objeto mediador do jogo, e não o objetivo dele.
- Fazer com que o aluno entenda os outros princípios que caracterizam o jogo, como a sua relação com a equipe, o seu posicionamento em relação aos companheiros, em relação aos adversários e sua relação espaço-tempo.
Algumas atividades para que os alunos modifiquem seu olhar sobre a bola e percebam o jogo mais amplo, são necessárias neste período.

Atividades como pega-pega com bola, onde o aluno com a bola torna-se o pegador e deve encostá-la em algum colega para pega-lo e livrar-se de ser o pegador, ou então, a sua variação em que uma bola fica em posse do pegador e outra bola “imunizante” em posse dos fugitivos, para que estes se ajudem através de passes para não serem pegos podem auxiliar como exercícios iniciais para que os outros princípios do jogo possam ser executados junto com o objeto do jogo.
Também, jogos como o rouba bandeira com adaptações ao Futsal, como trocar a bandeira pela bola, permitir passe entre os jogadores da mesma equipe, ou então usar aqueles que foram pegos e estão “imóveis” no campo adversário como pivô, podendo contribuir para que os alunos criem estratégias sem a posse da bola.

Na ação de aquisição da bola, ou pedir a bola, estão inseridas as noções de passar e receber, tirar, marcar, manipular. Para que o aluno tenha condições de adquirir a bola para si, ele deve conhecer os princípios primários: como saber desmarcar-se, saber orientar-se no espaço, tanto em relação os espaços vazios, quanto aos alinhamentos entre adversários e companheiros.

Portanto, as atividades iniciais do ataque devem conter as intenções táticas voltadas para, além da aquisição da bola, o desmarque, o posicionamento em quadra. Além desses princípios, a iniciação ofensiva no futsal também deve proporcionar ao aluno o conhecimento sobre os princípios da busca por espaços vazios, a orientação espaço-tempo, as habilidades de um contra um, a ajuda coletiva.

O trabalho de 1x1 na iniciação ao ataque é importante para trabalhar a variedade de reações e situações de cada jogador, e suas adaptações decorrentes dessas variações. Isto é importantíssimo para a formação tática do jogador.

De acordo com GRECO, uma das primeiras situações encontradas pelo jogador é a relação eu / bola/ adversário, assim o aluno precisa ter essa habilidade trabalhada para que então possa progredir á relação eu /bola/companheiros e adversários. Além disso, os jogos 1x1 trabalham habilidades motoras individuais sem que sejam feitos exercícios técnicos-analíticos para tal aprendizado.

Alguns jogos como o passa dez em si, ou com alguma variação como levar o ultimo passe a alguém ou a algum lugar, ou então, um jogo de dribles de uma equipe contra outra em que todos de uma equipe possuem uma bola cada e os integrantes da outra equipe não possuem bola alguma têm que roubar a bola da equipe possuidora e transferi-la a um local neutro até que todas as bolas sejam recolhidas permite que os alunos ao perderem a posse da bola comecem a ajudar os companheiros que ainda estão em posse da mesma, com auxilio no passe, ou com bloqueios ou com vai e vêm. Os alunos irão vivenciar momentos ofensivos sem a bola, o que aumenta a quantidade de ações possíveis a cada jogador.

Estes princípios do jogo devem ser desenvolvidos logo na iniciação a modalidade para que os alunos tenham conhecimento de quantas movimentações são permitidas dentro do jogo de Futsal, e assim não limitem a sua prática a dribles e Chutes, e também percebam que o jogador não é somente aquele que está com a bola, e sim que há uma função para cada jogador e que juntos podem trabalhar para o bem coletivo da equipe, que é chegar à meta adversária.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário